Veja 5 motivos para colocar Mendoza em seu roteiro de viagens – Entretenimento



A Argentina tem atraído cada vez mais turistas brasileiros que buscam por belezas naturais, gastronomia de qualidade, preços acessíveis e experiências únicas na América Latina. Com cenários de tirar o fôlego, desde a cosmopolita capital Buenos Aires, e seus ícones da arquitetura, até as geleiras da Patagônia no sul do país, a Argentina tem o destino ideal para todos os gostos e interesses e é o cenário perfeito para quem se aventura sozinho, para casais apaixonados e também para viagens em família.


A cidade de Mendoza, localizada na região oeste do país, aos pés da Cordilheira dos Andes, é um desses lugares que não podem ficar de fora do roteiro de viagem. Conhecida mundialmente pela qualidade de seus vinhos, que são produzidos em mais de mil vinícolas na região, Mendoza oferece aos seus visitantes a experiência do enoturismo, além de passeios com visuais de arrancar o fôlego pela Ruta Nacional 7 (que liga o país ao Chile e passa pelo Aconcágua, monte mais alto das Américas), estações de esqui, turismo de aventura (com rafting, cavalgada, passeios de balão, piscinas de águas termais e outros), e restaurantes de chefs renomados no aconchegante centro da cidade.


Mendoza está localizada a pouco mais de 700 metros acima do nível do mar e cerca de mil quilômetros distante de Buenos Aires. Apesar de seu clima seco, ela se mantém fresca porque todas as ruas têm pequenas calhas por onde a água de degelo da Cordilheira dos Andes corre, garantindo, inclusive, a irrigação do solo nas plantações de uvas e frutas.


Com aeroporto próprio, a cidade recebe voos diretos vindos do Brasil, além de ônibus e carros próprios vindos da capital argentina ou de grandes cidades da região. Para se locomover por Mendoza, os coletivos e táxis estão à disposição, bem como carros de aluguel, e são dezenas de agências de viagens que levam os turistas aos principais pontos turísticos por preços acessíveis.


Veja 5 motivos para colocar Mendoza em seu roteiro de viagens agora mesmo:



O enoturismo

Mendoza é responsável pela produção de 70% do vinho argentino e, por isso, conhecer pelo menos uma bodega (nome dado às vinícolas em espanhol) é obrigatório para quem visita a cidade. As bodegas mais próximas do centro de Mendoza estão a cerca de 15 km de distância, e oferecem visita guiada, degustação, e, por vezes, até hospedagem. São três principais regiões: Vale do Uco, Maipu e Luján de Cuyo, onde se produzem os mais famosos vinhos argentinos como os da marca Trapiche, Catena Zapata, Zuccardi e Ruca Malén.


Para evitar beber e dirigir, há opções acessíveis para quem quer fazer um tour por uma ou mais regiões produtoras de vinho. Seja com aluguel de carro com motorista ou com o Bus Vitivinícola, que passa pelos hotéis e leva os turistas ao trajeto escolhido, a diversão e segurança ficam garantidas. Os preços variam entre $1650 e $2500 pesos argentinos que, convertidos em reais no câmbio atual*, seria cerca de R$ 50 e R$ 75, de acordo com o dia, trajeto e duração dos passeios.


O visitante paga para entrar nas bodegas que desejar visitar e os preços estão disponíveis nos próprios sites. Se optar por almoçar, deve considerar isso no valor final. Os restaurantes das bodegas fazem o menu degustação com chefs renomados e, claro, com harmonização de vinhos. A experiência é inesquecível ao paladar.


O aconchegante centro da cidade

Quem chega a Mendoza pela primeira vez se impressiona com a quantidade de árvores nas principais ruas. No centro da cidade, um largo “calçadão” com lojas, cafeterias, sorveterias, restaurantes e lanchonetes recebe o visitante misturando a movimentação dos turistas com a calmaria da rotina dos moradores locais.


As praças de Mendoza também chamam a atenção. Planas e bem arborizadas, elas têm espaço para feiras artesanais, fontes iluminadas e até barracas com comida típica argentina. Na Plaza da Independência, dezenas de famílias locais vendem os tradicionais cortes de carnes que são assados na brasa a céu aberto, oferecendo a experiência completa para quem não conhece os preparos. Entre os principais pedidos estão o chorizo, a tira de assado, o bife ancho e o famoso sanduíche choripan.


Outro ponto turístico importante da cidade é o Parque General San Martín. Ele foi projetado pelo paisagista francês Carlos Thays e ocupa cerca de um terço da área total da cidade. Abrigando praças, lagos, chafariz, espaço para piqueniques e churrascos, o parque é um dos espaços preferidos dos moradores para curtir um dia de folga.



A Ruta Nacional 7

Uma das rodovias mais famosas e antigas da Argentina, a Ruta Nacional 7 é caminho obrigatório para os turistas que querem conhecer as belezas mais distantes do centro de Mendoza. Com pouco tempo de viagem pela rota, que vai até o Chile, o viajante vê uma das paisagens mais bonitas da região, o Dique Potrerillos. Trata-se de uma barragem no rio Mendoza, que por guardar água do degelo da Cordilheira – a mesma que banha a cidade de Mendoza – tem uma cor que chama a atenção. Em dias ensolarados, o visual é deslumbrante. Apesar de não ser permitida a aproximação de visitantes na água, a vista vale a pena. Aproveite a parada para fotografar e se emocionar com o verdadeiro lago azul que se forma entre as altas montanhas.


Não muito distante do Dique Potrerillos, as piscinas termais da região de Cacheuta garantem o descanso ideal para os mais velhos e a diversão das crianças. Apesar do frio da montanha, a região de Cacheuta tem piscinas termais, spa e um parque que oferecem tranquilidade, conforto e um pouquinho de luxo aos visitantes. A entrada do parque custa em torno de $600 e $800 pesos argentinos (R$ 18 e R$ 23,5), e permite a permanência por todo o dia.



A beleza natural da Puente del Inca

Ainda no caminho da Ruta Nacional 7, a Puente del Inca é uma parada obrigatória na viagem. À primeira vista, parece esculpida pelo homem, mas a paisagem é natural e os tons de ocre foram deixados ali ao longo dos anos. São 48 metros de comprimento e 28 de largura de uma ponte que hoje é vizinha de um pequeno povoado, mas que já foi parte, no século passado, de um grande hotel que, aproveitando a fama das águas termais, construiu suas instalações por lá. Uma avalanche destruiu o local, mantendo apenas as termas e uma capela que não podem ser acessadas pelo público por questões de segurança. O visual, de tirar o fôlego, é gratuito e cenário perfeito para as fotos.


Existem ainda alguns hostels no local e uma feira onde pequenos artesãos vizinhos vendem objetos produzidos a partir da formação rochosa da ponte. É uma excelente oportunidade para trazer uma lembrança desse lugar histórico. Todos os tours de Alta Montanha oferecidos pelas agências no centro de Mendoza têm parada programada na ponte.



Aventura na montanha mais alta das Américas

Se você é um aventureiro, vai amar o Parque Provincial Aconcágua, local que abriga a montanha homônima, que é a mais alta das Américas e está no coração da Cordilheira dos Andes. O parque é uma das maiores belezas naturais da Argentina e os visitantes podem percorrer trilhas tranquilas para chegar ao mirante, que tem uma das vistas mais bonitas para a montanha, e podem se aventurar no trekking para participar de expedições que duram entre 7 e 20 dias. Para entrar no Parque, o visitante latino paga de acordo com o trajeto que pretende explorar, com preços entre $600 e $2500 pesos argentinos (R$ 18 e R$ 75).


O Aconcágua está a 185 km do centro de Mendoza e a alta temporada acontece entre novembro e março. No entanto, é possível visitar o local mesmo fora da temporada, em uma experiência com menos frio e neve.



Os amantes do esporte na neve ou que gostam de se divertir com essa maravilha da natureza devem conhecer também Las Leñas, um dos melhores centros de esqui e snowboard do hemisfério Sul, que tem 29 pistas com 65 quilômetros disponíveis para a prática esportiva, inclusive noturna. Bem próximo ao centro de esqui, não faltam opções de hospedagem, sejam luxuosas ou mais simples, inclusive apart-hoteis que são pensados especialmente para famílias e grupos maiores.


Por ali, o turista encontra à disposição todos os serviços tradicionais de resorts, como equipamentos para alugar, restaurantes, escolas de esqui e até um pequeno parque de neve para quem quer se divertir e treinar suas habilidades. Por todo canto há também a presença de guias habilitados que orientam e ensinam os turistas a praticarem os esportes de inverno com mais segurança. Para os mais descolados, um centro de compra, um pequeno cassino e baladas noturnas garantem ainda mais a experiência completa em Las Leñas.


O maior complexo de esportes de inverno da América Latina está cerca de 400km ao sul de Mendoza, bem no coração da Cordilheira dos Andes e pode ser acessado por terra, com carros e ônibus, e por aviões. Como está a 2.750m de altitude, Las Leñas é cercada de montanhas forradas de neve, garantindo a experiência desde o momento em que o turista abre a porta do seu local de hospedagem. Os teleféricos Vulcano e Retorno de Marte, a tirolesa Canopy Neve e as pistas Minerva III, Apollo e Venus não podem faltar no roteiro esportivo, já que são os pontos altos de Las Leñas.


Outro diferencial da região é o Parque Aventura, inaugurado em 2013, que recebe tanto quem está hospedado em Las Leñas quanto o visitante de um dia. O parque é ideal para a diversão em família e adultos e crianças são convidados a curtirem a pista Snow Tubing, com mais de 100 metros, em botes infláveis.


*Os preços informados na matéria são considerados a partir do dólar blue. Os preços calculados a partir do dólar oficial podem sofrer alterações.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × cinco =