Banho, roupinha, alimentação, doenças; um guia para cuidar do pet no frio


A queda nas temperaturas afeta também o comportamento e a saúde dos pets.

É normal que eles passem mais tempo deitados ou dormindo e, apesar do frio, é importante que se mantenham hidratados. Por isso, o tutor deve incentivar o animal a beber água.

“Precisamos ficar atentos aos sinais de que o cão pode estar sendo afetado negativamente pelo frio no inverno. O que fica aparente são tremores visíveis, encolhimento, patas levantando repetidamente ou tentativa constante de recolhê-las. Uma boa regra geral é: se a temperatura estiver muito fria para você, o mesmo valerá para o pet”, diz Natália Lopes, médica-veterinária e gerente de comunicação científica da Royal Canin.

Para aquecer os cães, cobertores e roupinhas. Mas elas devem ser confortáveis e não limitar os movimentos. “A roupa não é indicada para gatos. Além de a maioria dos felinos não se sentir confortável com elas, também impede o comportamento natural de grooming [higiene felina], que é o ato de se limpar e remover pelos mortos por meio de lambidas”, afirma Cinthya Ugliara, médica veterinária e sócia da Dra.Mei, franquia de clínica veterinária do Grupo Petland.

A necessidade de banhos varia conforme o pet. A recomendação é reduzir a frequência em períodos gelados. A higiene, no entanto, não se resume ao banho, explica a veterinária Lívia Romeiro, da Vet Quality Centro Veterinário. Orelhas e olhos, por exemplo, devem ficar sempre limpinhos.

O tempo mais frio provoca maior desconforto em filhotes e idosos, segundo Caroline Mouco, diretora da rede de serviços veterinários Vet Popular. “Temos que ficar atentos para mantê-los aquecidos, com roupinha, sempre deixá-los em um ambiente seco e com coberta disponível. É bom fazer com que eles se movimentem também.”

Com as baixas temperaturas, além de gripe, doenças respiratórias e articulares em cães são mais frequentes. Os sintomas podem incluir dor, limitação de movimentos —como não subir no sofá ou não fazer festa para o tutor—, falta de apetite.

Mas muitos bichinhos vivem nas ruas e abrigos e não têm uma caminha quentinha ou um cobertor para se proteger no frio. ONGs, protetores e prefeituras fazem constantes campanhas do agasalho para tentar dar um pouquinho de conforto a esses animais. A doação de uma mantinha a um desses grupos que atua na sua região pode fazer um cãozinho mais feliz.

CUIDADOS

Confira orientações dos especialistas para o período de frio.

Todo animal sente frio?
– Todos os pets sentem frio, embora raças com pelagem mais espessa sejam mais resistentes
– Além de apresentar tremores, os pets passam mais tempo encolhidos, deitados ou dormindo
– Em situações de muito frio é possível notar patas e orelhas geladas ou mucosas com coloração pálida

Cachorro e gato devem usar roupinhas e sapatinhos?
– A proteção é recomendada para animais de pelos curtos, em dias mais frios, desde que não atrapalhe os movimentos ou deixe o pet desconfortável
– Os tecidos mais apropriados para evitar alergias são à base de algodão –lã deve ser evitada
– Alguns pets podem não se adaptar com roupas, principalmente com sapatinhos. Nesses casos, prefira cobertas
– Além de agasalho, animais que ficam fora de casa precisam ter abrigo de tamanho adequado contra frio e chuva e uma coberta seca sempre disponível
– Roupas não são recomendadas para gatos. Elas incomodam e atrapalham o comportamento dos felinos de se limpar por meio de lambidas

O pet sente mais fome no frio?
– O animal pode sentir mais fome no frio, mas a dieta deve ser mantida para evitar sobrepeso e obesidade
– Antes de alterar a alimentação, o tutor deve buscar a avaliação do veterinário

Filhotes e idosos precisam cuicados extras?
– Filhotes e idosos tendem a ter uma capacidade menor de manter a temperatura do corpo e podem apresentar imunidade mais frágil, ficando suscetíveis às doenças comuns do frio
– É  preciso mantê-los aquecidos com roupinha e deixá-los em ambiente seco, com coberta disponível

É preciso trocar a caminha do pet?
– Evite que o animal durma no chão sem proteção
– Deixe o animal escolher o ambiente mais confortável
– Mantenha a  caminha que ele está acostumado e adicione uma coberta ou mantinha para deixar o local mais aquecido e aconchegante

Como manter o animal hidratado?
– É importante incentivar os pets a beberem água
– Ofereça e deixe água sempre disponível –espalhe bebedouros ou tigelas pela casa

Como manter a higiene do animal no frio?
– Higiene não é apenas banho regular. Em qualquer estação do ano, a escovação de dentes e do pelo deve ser mantida
– A limpeza de olhos e ouvidos do cachorro deve ser feita após o banho ou ao menos uma vez por semana, conforme recomendação do veterinário. Utilize produtos específicos ou soro fisiológico, com gaze ou algodão
– Orelhas devem ser higienizadas com frequência, com algodão ou cotonetes. São áreas sensíveis, e a limpeza é feita apenas na parte externa para evitar machucar o animal

A frequência do banho deve mudar? E a tosa?
– A pelagem é uma barreira natural para os pets, por isso cortes muito curtos devem ser evitados –a tosa higiênica deve ser mantida
– A frequência de banho depende da necessidade de cada animal. A orientação é espaçar em períodos muitos frios, mas em casa pode ser dado com água morna e em local sem correntes de ar
– Siga recomendações de sabonetes e xampus receitados pelos veterinários. Produtos destinados a humanos não devem ser utilizados
– A secagem precisa ser feita com toalha e secador para evitar fungos e dermatites

Quais os cuidados com a pele e o pelo?
– Para evitar nós e manter a saúde da pele, o animal não deve ficar com a mesma roupa por dias seguidos; a peça deve ser retirada por algumas horas e o pelo, escovado
– Hidratantes de uso veterinário podem ser aplicados, principalmente nas áreas sem pelos e coxins das patas
– Protetor solar também pode ser usado para pets no inverno, especialmente em animais que ficam muito tempo ao ar livre
– Quedas de pelo costumam ser mais intensas na primavera e no outono, como uma para preparação da pelagem para as épocas mais quentes (verão) e mais frias (inverno). Se o pet apresentar queda maior que a de costume ou por um período acima de 30 dias, o veterinário deve ser consultado

Pode passear na rua?
– A recomendação é que as saídas ocorram em horários menos frios, como entre o fim da manhã e começo da tarde
– O pet deve estar bem hidratado e agasalhado durante o passeio
– Em dias de temperaturas muito baixas, estimule a atividade dentro de casa

Quais as principais doenças que surgem com o frio?
– As doenças respiratórias são as mais comuns nesta época, como gripes, pneumonias e alergias respiratórias
– A gripe canina –ou tosse dos canis— é uma traqueobronquite que tem sintomas parecidos com a gripe humana, como falta de apetite, espirros, tosse seca. Se não tratada corretamente, pode evoluir para pneumonia

Há vacinas específicas para o período?
– Manter as vacinas em dia garante a saúde do pet –e da família
– Além das obrigatórias, como contra a raiva, a dose anual contra contra gripe é importante para prevenir a tosse dos canis, doença altamente contagiosa entre os pets e que provoca desconforto ao animal

Como tratar os animais que não dormem dentro de casa?
– Evite que o animal durma no chão sem proteção alguma
– Mantenha sempre disponíveis caminhas, tocas ou até caixas para que ele se proteja
– Deixe o abrigo longe do vento e da chuva; confira se a casinha está bem protegida, sem frestas ou aberturas que facilitem a entrada do frio ou de água
– Deixe um cobertor ou mantinha disponível e confira sempre se não esta molhado

O que não fazer com o pet no frio?
– Não deixar o pet úmido ou molhado após o banho
– Não deixar que ele brinque com água
– Evitar passeios nos dias de frio mais intenso
– Não deixar o animal com roupa por dias seguidos
– Não alterar a alimentação sem a orientação do médico veterinário.

Fontes: Caroline Mouco, diretora da rede de serviços veterinários Vet Popular; Cinthya Ugliara, médica veterinária e sócia da Dra.Mei; Natália Lopes, médica-veterinária e gerente de comunicação científica da Royal Canin, Lívia Romeiro, veterinária da Vet Quality Centro Veterinário

*

Siga o Bom Pra Cachorro no Facebook, no Instagram ou no Twitter.

Quer ver a história do seu pet publicada ou quer sugerir reportagem? Mande para [email protected]  ou marque no Instagram



Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *