Anonymous publica dois novos vazamentos de dados da Epik, hospedeira da alt-right


O coletivo hacktivista Anonymous anunciou novos vazamentos de dados dos servidores da Epik, a provedora responsável pela hospedagem de diversos sites e grupos de direita e extrema direita. As novas brechas liberaram aproximadamente 300 GB de arquivos, além de outra especialmente direcionada a dados sensíveis do Partido Republicano do Texas, nos Estados Unidos.

Em setembro deste ano, os ciberativistas declararam uma infiltração nos servidores do provedor após um longo histórico de hospedagem de serviços controversos, como o Parler e os Proud Boys, estes últimos envolvidos no ataque ao Capitólio. Robert Monster, o administrador do provedor, confirmou os vazamentos uma semana depois.

publicidade

Com o fim da primeira etapa, a “Operation Epik Fail” está destrinchada em duas novas ações. A segunda fase da operação, “The /b/ Sides” (uma referência ao “Lado B” dos discos de vinil), inclui 300 GB de dados sensíveis, incluindo discos de boot inteiros dos servidores. Já a terceira, “You Lost The Game” (“Você Perdeu O Jogo”), concentra informações exclusivas de ações do “Good Old Party” (GOP), o Partido Republicano dos EUA.

Vazamentos do anonymous são resposta à lei antiaborto nos EUA

Segundo o jornalista Steven Monacelli, que fez uma averiguação inicial dos novos vazamentos de dados dos Anonymous, as informações desta terceira fase parecem originar de um backup da Epik. Os arquivos contém documentos sensíveis e bases de dados.

A ação é uma represália direta ao Texas Heartbeat Act, a nova lei texana, que restringe direitos de abortos autorizados por lei. Registrado nos servidores da Epik, o grupo anti-aborto Texas Right to Life (Texas pelo Direito à Vida) estava hospedado pelo provedor após sua transferência do GoDaddy.

As informações dos novos vazamentos da Epik ainda estão em apuração, mas é evidente que os Anonymous esperam por represália. Segundo uma análise do Daily Dot, um cidadão canadense está respondendo por sua ligação com os Proud Boys, enquanto um corretor de imóveis na Flórida foi demitido após a descoberta de domínios web anti-semitas registrados em seu nome.

Imagem: Michael Treu/Pixabay/CC

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!



Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + dezoito =